Princípio Gerador da Compreensão Criadora

Princípio Gerador da Compreensão Criadora

 Saudações Irmãos e irmãs que visitam este site ascendente!

Venho aqui mais esta vez elucidar à todos as tarefas a serem feitas diariamente, desde o princípio, em que se recebeu  as lições  que o mais importante é aprender, como se deva aplica-la a cada instante.
Vale apenas relembrar que o ego é memória, se plasma e se fortifica das memórias, das intrigas, das discussões, das antipatias ou simpatias; em todos os momentos, em nossas ações estão mescladas com influências negativas, das memórias nefastas do grande vilão dentro.

Venho aqui tentar explicar a todos por este outro ângulo o que é realmente fazer um trabalho interno.
O que digo é apenas para que saibam por onde começar a se limpar; é como ligar o aparelho pela primeira vez, zerando acontecimentos anteriores, se fomos maus ou bons e etc… Todos esses antecedentes não servirão para nada no começo do trabalho até se pegar o fio da meada; depois sim, poderá servir como histórico para a dissolução de um agregado específico, caso contrário estará revivendo, alimentando as lembranças e recorrências etc.

O Princípio do trabalho sempre será este do meditativo, de uma busca interior, de uma imposição feita por nós de encontrar o zero, e dali começar a vir limpando todas as formas mentais que possam vir buscar alimento, nas lembranças más ou boas, não importa. Este é apenas um fator importante a ser implantado na disciplina da superação interna.

Buscando o ponto interior iremos descobrindo o que realmente somos… Porém não devemos gerar nenhum tipo de emoção negativa nesta descoberta, apenas ver que há personificação de erros vindos de agregados, que precisam ser eliminados, e começar a dissolve-los em continuidade.

O que aqui estou mencionando é apenas um pequeno item, uma didática simples, não é auto-condenação, e nem auto-libertação ilusória, mas sim uma conduta reta ao que se deva fazer de instante a instante, buscando dissolver o inferior que se manifestar de  momento a momento,  é esta pegada que estamos todos engatinhando por aprender.
Digo aqui do que me consta na prática diária , toda cantoria da tagarelice mental além das tormentosas preocupações com os diversos relacionamentos, compromissos, recorrências, obrigações, arbitrariedades, o falso testemunho, as aparências diante dos outros e para os outros… Estar se justificando ou sempre pronto a se defender, nada disso é trabalho interior.Trabalho interior está com a essência, precisamos despertá-la para o trabalho. Certamente a essência desperta jamais estará impulsionando as auto-considerações, nas manias de grandeza e de perseguição, nas satisfações, ou insatisfações, nas reações automáticas e etc…Saber viver perigosamente é saber ver que todas esses fatores remotamente acontecem para uma superação interior, nunca protestar contra as situações, mas sim estar em profunda busca por dissolver.

Quando alguém faz ofensas, certamente se não há trabalho na pessoa que as recebe, tende fatalmente a protestar abrindo muitos e infindáveis argumentos em sua defesa, por que os agregados se interessam por isso, de certo e errado, de razões, aparências diante dos outros, reputação e etc. Porém “jamais” isto será trabalho interior.

As manifestações dos diversos tipos de agregados são em todas as direções, sempre estão vasculhando as sintonias para que dali tirem seu alimento, conduzindo a psicologia para tomar tal ou qual atitude. Lançam suas freqüências hostis para que recebam o retorno, que é a própria recorrência gerando identificação com a situação, fazendo perder energia, ou melhor, gastando a energia vital, alimentando os agregados.

De maneira nenhuma se deixar à deriva, ao acaso, será trabalho interior, pois mostra-nos claramente que se torna vulnerável a todas as freqüências que chegam, quem trabalha sobre si mesmo jamais se deixa manipular por dentro ou por fora, pois segue a si mesmo; porém é preciso esclarecer que seguir a si mesmo jamais será seguir o ego, viver tagarelando, armando defesas ou planejando estratégias ou etc… Obviamente essas ações são dos agregados psíquicos, os Mestres estão despertos nos mundos internos, Eles com as hierarquias tem seus modos operantes de chegar e de levar a julgamento quem quer que seja.

Digo que o Pai sabe de tudo, dele provém todas as saídas, soluções de todas as situações.

Quando a pessoa compreende este princípio, que o trabalho não é personificar a sua culpa, nem a de seu irmão, nem também ignorar os agregados psíquicos que concorrem a todos os instantes, muito menos se auto-considerar grande sacerdote, mas fundamentalmente, é gerar trabalho de dissolução desses agregados, se movimentando sabiamente e tranqüilamente dentro de si mesmo com dobrada atenção a tudo…
Obviamente aquele que está pelo PAI, não se deixará ser manipulado pela suposta razão que possa ser apresentada, de fato esta já está em forma de freqüência, obviamente tem uma vibração, que fatalmente tenderá a justificar a si mesmo, tem um alvo de protesto.

Aquele que trabalha sobre si, tem um filtro neste sentido, não se permite ser o alvo, ou se deixar levar pelos agregados da ira, orgulho, presunção, de protesto e etc., se faz alerta, pois sempre tem em si o Pai como o Perfeito, que seu exemplo deve ser seguido, nunca buscar apoio na razão alheia, seja de quem quer que seja, ou a opinião, acusações, evasivas, justificativas, auto-considerações, objeções, que em forma de cantoria psicológica passa a enredar os espectadores. Quando não trabalhamos sobre nós mesmos, os agregados sempre estão a gerar esses enredos. Certamente que isto que escrevo são fatos, jamais alimentar este tipo de conduta será trabalho interior, porém compreender essas grotescas atitudes das ações dos agregados em si mesmo, sim, aí começa o trabalho.
Exatamente pegando deste princípio da compreensão:

Notoriamente aí é um ponto sutil, frágil, tênue, que custa muito encontrar para se conduzir no trabalho interno, é muito fácil de perdê-lo. É fato que uma vez encontrado o ponto de equilíbrio de sua existência, todos que são adeptos do pólo contrário, se precipitam a tirar-nos de nosso estado de equilíbrio.

Vale ressaltar com emergência, que é exatamente nos deixando vulneráveis às freqüências sinistras, esquecendo-nos do trabalho emergente de transformar as impressões, que os esquerdos aos propósitos do Pai, fazem uso das pessoas, pois ignoram o trabalho sobre si mesmas, essas forças concorrem a nos fazer perder o trabalho, essa vulnerabilidade acontece devido ao apego que se cria com as pessoas.

Não se deve também desprezar as pessoas, nem tão pouco ter reciprocidades, cumplicidade com as tagarelices alheias, por considerações ou auto-considerações e etc etc etc., com esses estados equivocados dos outros ou nossos mesmos.

Pois de fato, os agregados não querem estar sozinhos, buscam seguidamente novos consolos, buscam pessoas para se apoiarem em seus conceitos mortos, em suas razões feridas, em suas pré-ocupações inúteis e etc.

É fato que o orgulhoso enxerga pelas lentes do orgulho, vê todos os demais por essas lentes, então, projeta nos outros o que se é, pois não há interesse em dissolver esses agregados. Mas sim em justificar as ações do agregado, criando defesas, considerações, objeções e argumentos.

O mesmo acontece com todos os outros agregados quando estão no comando da máquina, usam essas mesmas projeções no semelhante, pois assim gera uma freqüência por onde lhe trará alimento.

Permitem Compreender isso?

Então o que os esquerdos aos propósitos do Pai querem isso, que as pessoas falem do ensinamento feito papagaios, mas nunca encontrem o princípio ativo do trabalho, querem os adeptos da loja negra, que todos façam do ensinamento um desfile de cantorias subjetivas, justificativas e evasivas, de razões, de eloqüentes atitudes de protesto contra qualquer que seja o semelhante. Jamais isso será um ensinamento solar, estas são as más obras.

Meus votos à todos é que descubram as más obras e se afastem delas, um meio prático de fazer isso é realizando boas obras aqui e agora, com o equilíbrio dos Três Fatores de Revolução da Consciência, é emergente que compreendam essas dicas que aqui estou passando com carinho e responsabilidade, perante a verdade sobre a prática deste ensinamento.

Digo enfaticamente, da parte que nos cabe a compreender, sobre o que é zerar e sempre estar recomeçando do zero, todo dia, toda hora, estar zerando-se, para que possa vir verdadeiramente se auto-descobrindo. Para poder dissolver o inferior, precisa-se separar de si mesmo, de todas as emoções, sentimentos, razões, auto-considerações, preocupações, achismos, intelectualismos,  além de emergentemente anular todas as reações automáticas. A superação interior é 100% prática.

E esses fatores ditos acima, somente é possível vivenciar, quando se colocar a viver a busca pelo único ponto dentro, e ainda se hiper-esforçar por se manter nele, este ponto único, é vazio de reações adversas, é um ponto íntegro e estável, em que devemos meditar diariamente…

 perseu
Manter-se disciplinadamente, bem relaxado e concentrado a um único ponto dentro, manter-se nele, neste ponto único não existem reações adversas, é um ponto íntegro e estável, ponto silencioso e altíssimo dentro de nós, tudo que se opôr a essa prática, já será uma manifestação contrária a nossa conduta, é uma precipitação dos agregados para nos fazer dissipar de nossa própria busca interior, neste instante sem demora nenhuma, sem deixar gerar nenhum impulso sentimental, suplicamos à Mãe Divina para que tire essa manifestação de nós, e voltamos imediatamente à prática, não se deixando levar por devaneios raciocinativos sobre o agregado que se manisfestou, pois não é a mente que irá fazer o trabalho, mas a Mãe Divina e a Essência Desperta.

    A Mãe Divina ensina e cuida da essência dentro de nós, nunca dos agregados que estão ativos na mente, que possuem suas mentes pensantes, em seus inúmeros compromissos. 

    Na continuidade consciente dessas práticas, vamos formando o despertar, a Essência Desperta e a Mãe Divina, virão registrando todos os acontecimentos internos, nas manifestações de todos esses diminutos detalhes de defeitos, que mais à frente virá a nos conferir uma compreensão profunda, sobre a manifestação de cada um dos agregados psíquicos, poderemos então, levar um por um dos que foram descobertos à prática de decapitação.

    A segunda Prática diária é muito similar, porém não há súplicas de morte aos defeitos:

Meditação:

Manter-se disciplinadamente, bem relaxado e concentrado a um único ponto dentro, manter-se nele, neste ponto único não existem reações adversas, é um ponto íntegro e estável, ponto silencioso e altíssimo dentro de nós; manter-se nesta atividade até que encontre o princípio meditativo ascendente, ou seja, caminhar a dentro de uma meditação verdadeira, se vir pensamentos ou reações internas, aqui nesta prática devemos ignorará-los voltando a busca imediata ao Silêncio Interior Iluminador.

Meus amigos e irmãos vos digo, que essas informações aqui, se forem compreendidas a fundo, nos seus pontos emergentes, que fundamentalmente sejam praticadas sem demora, pois irá conduzi-los aos resultados e estarão verdadeiramente vivendo o trabalho Cristão.

Obviamente que como propõem o tópico, é que seja compreendido esses princípios, por onde nasce a compreensão criadora, então depois de se estar desenvolvendo nestas ações conscientes diante de si mesmo, vir adentrando nas outras informações mais detalhadas sobre o trabalho…

Vale ressaltar que o trabalho todo é individual, é muito particular e secreto…
Rogo à todos! Muito Boas Compreensões, pois essas são as práticas emergentes para este final dos tempos, além do segundo fator!


 

                                                                                                                                                                                                     Por: V.M. Raphael